A primeira condutora de trens da Índia

A Primeira Condutora de trens da Índia e de toda a Ásia

“Mulheres não dirigem locomotivas”

Surekha Yadav é uma mulher indiana a frente de seu tempo. Caso você tenha se perguntado quem é ela e qual a sua importância me permita que lhe resuma sua história:
Surekha nasceu na cidade de Satara, em Maharashtra no ano de 1965 e era a criança mais velha da família cujo pai era fazendeiro. Mesmo assim ela conseguiu terminar o segundo grau e lutou para conseguir um diploma de Engenheira Elétrica na Escola Politécnica da sua região. Casou-se com um inspetor de polícia com quem teve dois filhos que a apoiou seu trabalho. O apoio dele a fez ir mais longe. A persistência dela apesar de escutar sempre que “as mulheres não dirigem locomotivas” a fez realizar seus sonhos.

Em 1987 Surekha foi entrevistada pelo Conselho de Recrutamento Ferroviário, foi selecionada e tornou-se motorista assistente. Em 1988 Surekha foi a primeira mulher a dirigir um trem não só na Índia, mas também na Ásia toda. No ano seguinte, após um treinamento de seis meses ela foi promovida a motorista assistente regular, em 1989. Seu trabalho era dirigir os trens de transporte de mercadorias entre o Wadi Bunder e Kalyan. Em 1996 ela trabalhava regularmente no transporte de mercadorias, e dois anos mais tarde fora convidada para treinar novos condutores para essa função. Em 2010 ela estava assumindo a posição de condutor em um trem bimotor de passageiros que cruzava o vale ocidental de Maharashtra. Ela sentia-se pronta para o cargo, porém, antes de colocá-la para levar o trem de passageiros a obrigaram a fazer mais um treinamento. Segundo ela o motivo era “porque eu era a única mulher, eles estavam curiosos se eu poderia fazê-lo ou não”. E ela conseguiu. O curioso é que em 2000, ela já tinha conduzido um trem de passageiros, o “Especial para senhoras”, que nada mais era que um trem de passageiros somente para mulheres.

Em 1991, Surekha atuou em uma série de televisão indiana intitulado “Hum Bhi Kisise Kum Nahi (não estamos em segundo lugar)”. Ela recebeu a adulação de várias organizações por seu papel único como um maquinista mulher. Foi algo tão único e espetacular que ela chamou a atenção da mídia, recebeu atenção e admiradores que queriam seu autógrafo. Ela não foi somente a primeira mulher a dirigir um trem na Índia e sim a primeira a dirigir um trem na Ásia inteira. Cargo que antes era somente ocupado por homens.  Para prosseguir uma carreira como condutor de trem em Mumbai, ela disse que ela recebeu total apoio de sua família, amigos e colegas e não sofreu qualquer discriminação como uma mulher. Apenas o comentário corriqueiro de que “mulheres não conseguem dirigir trens”. O que não deixa de ser um verdadeiro milagre!

Outras mulheres foram inspiradas por ela, e a partir de 2011, havia 50 mulheres maquinistas de locomotivas que estavam operando trens suburbanos, caminhões de transporte de mercadorias, e também como manobristas ou motoristas.

surekha

E há uma curiosidade hilária sobre Surekha, pois a primeira mulher maquinista de trem não sabe dirigir nada que tenha 2 ou 4 rodas. Mas não tenham medo: como maquinista ela não tem registro de nenhum acidente! Atualmente, Surekha está ensinando no Centro de Formação de Motoristas Kalyan (DTC), como instrutor sênior. E se alguém tem alguma dúvida ainda de que ela é um excelente motivo de orgulho para todas as mulheres, eis abaixo os prêmios que ela ganhou até agora em sua excelente carreira. Parabéns Surekha!

  • Jijau Puraskar (1998)
  • Prêmio Mulheres empreendedores (2001) (por leões)
  • Rashtriya mahila aayog, Deli (2001)
  • Lokmat Manch sakhi (2002)
  • SBI Platinum celebrações do ano jubilar (2003-2004)
  • Prêmio Hirkani Sahyadri (2004)
  • Prerna Puraskar (2005)
  • GMaward (2011)
  • Prêmio Mulheres Empreendedoras (2011) (pela via ferroviária central)
  • Prêmio RWCC Melhores Mulheres do ano de 2013. Para a primeira-dama copiloto da Indian Railways na data de 5 abril de 2013
  • Prêmio GM para a primeira mulher maquinista da Indian Railways. Abril 2011