Resíduos de carvão geram poluição em Mumbai

Share

Na manhã do dia 06 de outubro de 2015 a cidade de Mumbai amanheceu com visibilidade prejudicada. De fato, parte da cidade da Mumbai está coberta de uma nuvem negra devido aos resíduos de carvão que geram poluição em Mumbai.

A contaminação ocorre por diversos fatores, nesse caso no ano de 2015 houve uma retirada das monções mais cedo. A alta umidade relativa do ar, a ausência de ventos que dispersem a poluição, o fim das monções, as baixas temperaturas e a emissão de poluentes na atmosfera. De acordo com o Departamento Indiano de Meteorologia (IMD), a situação deve normalizar-se antes de novembro, porém até lá, os Mumbaikars (nativos da cidade em língua Maratha) sofrerão com a poluição.

Grande parte dos poluentes que estão sendo emitidos deve-se à extração de carvão escoada principalmente pela área portuária da cidade em Haji Bunder. Anualmente, pelo porto de Mumbai passa uma montanha de carvão. Esse carvão tem como destino a Indonésia, Austrália e a Usina de Carvão de Bhusaval, há 455 km de distância da cidade. Sem entrar no fato de gerar energia elétrica a partir de termoelétricas de carvão ser algo extremamente poluente, o carvão transportado até o porto é levado de maneira muito rudimentar e sem segurança alguma.

mumbai-haji-bunder-leadGrande parte do transporte é feito por caminhão, sem lonas ou qualquer forma de armazenamento seguro da carga o que faz com que ela seja espalhada no ar. Quando não viajam em caminhões passam por trens, onde são transportadas em vagões abertos e por fim, colocadas em barcos de transporte em condições semelhantes, onde poluem não somente o ar, mas também a água do porto.

Grupos étnicos que vivem na região, como o povo Koli (Koli Samaj) e outros residentes da área há anos protestam contra as condições atmosféricas encontradas nas regiões portuárias mostrando provas de diversos problemas de saúde causados pela poluição e casos registrados de mortes por doenças respiratórias como enfisema pulmonar, tuberculose e câncer na garganta.

Para quem quiser conferir de perto, o mais curioso é que a região é de fácil acesso e permite visitação pois perto dos portos há o Instituto de Pesquisas e Engenharia Marinha (MERI). Como parte do passeio é possível visitar uma mina de carvão costeira a céu aberto e passear por trilhas de detritos negros. Para quem não puder ir pessoalmente, ou entende os riscos de ir pessoalmente use o Google Earth e pesquise pelo porto (Haji Bunder) e use a visualização de tempo, pedindo imagens de 2006 e anteriores. Elas mostrarão a água verde, já nas imagens mais recentes é possível ver a água escura.

As autoridades locais informaram à imprensa que o carvão é necessário para a usina Mahagenko e para o fornecimento de energia para o estado de Maharashtra. O carvão poderia ser importado do Estado de Surat para o fornecimento de matéria energética para a mesma empresa porém tal prática não está sendo cogitada pelas autoridades ou pela empresa. Na internet, o site change.org criou uma petição online para pressionar o ministro chefe de Maharashtra, Devendra Fadnavis e o minitstro do meio ambiente, Ramdas Kadam para parar de transportar carvão através do porto de Haji.

A petição pode ser encontrada aqui. Assine você também para auxiliar a pressionar os ministros.

Share