Templo dos Ratos

Share

Em um templo revestido de mármore branco e com um grande portão com decoração em ouro e prata os cerca de 20 mil ratos são reverenciados como divindades e existem fiéis devotados que os alimentam e cuidam deles todos os dias. Para entrar no templo dos ratos é preciso ficar descalço ou no máximo de meias e sim lá dentro haverá fezes e urina de ratos espalhadas por todos os lados e, além disso, os ratos que estão acostumados com a presença pacífica do homem perante ele e não o temem o que significa que é bem provável que algum se aproxime ou mesmo passe por cima do seu pé o que para os adoradores do templo é um sinal de que você foi abençoado. E lembre-se que lá eles são tratados como astro principal e se alguém fizer algum mal aos ratos é considerado um pecador e se alguém os matar mesmo que acidentalmente para sair do templo terá de pagar o peso do animal em ouro ou prata, substituindo-o. Por tanto se ousar visitar o templo fique frio e encare a experiência de forma positiva.

Os ratos conhecidos como Kabbas ou “filhinhos” são alimentados com várias comidas como grãos, coco, além de leite de vaca fresco servido á eles todos os dias em bacias de metal. Diferente do que você pode estar imaginando no templo não são os humanos que estão adoecendo e sim os ratos. Veterinários comprovaram que de tantos alimentos adocicados as ratazanas estão desenvolvendo doenças estomacais e até diabete. Sobre os humanos não se tem casos registrados de pessoas contraindo doenças vinda dos ratos do templo. Deve ser a fé que os protege porque até aonde consegui aprofundar o assunto não consta que os ratos ou as pessoas sejam tratados contra leptospirose ou outros males que os ratos ou seus parasitas possam causar. Eu particularmente gosto de ratos, já tive inclusive ratos brancos de laboratório, mais ratos brancos lá são raros e é um verdadeiro sinal de boa sorte ver um andando entre os ratos típicos de esgoto.

karni-mata-temple2Para os hindus, o Karni Mata era uma reencarnação da Deusa Durga. Durga é o aspecto feminino da energia primordial da criação (shakti). Durga é a grande mãe. Também chamada de Parvati, ela é a esposa de Shiva e mãe de Ganesha. De acordo com a lenda, Karni Mata pediu para Yama, o regente dos mortos reviver um dos filhos de um contador de histórias que se afogou. Yama recusou, porém depois cedeu, dizendo que todos os filhos de sexo masculino de Karni Mata seriam reencarnados como ratos. Em outras origens para a lenda do templo dos ratos, Karni Mata teria ressuscitado milagrosamente uma criança doente, anunciando que seus descendentes não cairiam novamente nas mãos de Yama, pois reencarnariam temporariamente em ratos para depois retornarem à tribo. Para os seguidores dessa vertente, Karni Mata ainda habita o templo, na forma de um rato único e branco que mora dentro do templo.

Seja qual for a versão que você escolher, o templo tem aproximadamente 600 anos de idade e fica na cidade de Deshnoke, no Rajastão. Dentro do templo muitos Hindus procuram o rato branco pelos buracos e ninhos em busca de boa sorte. A tarefa é árdua, mesmo em meio a centenas de ratos negros que transitam livremente pelo grandioso templo. Se acreditarmos no folclore e tivéssemos a mesma fé também iríamos querer visitar o templo dos ratos e achar o nosso rato branco. Devemos respeitar as diferenças religiosas e felizes deles. Os católicos tem São Francisco de Assis que amava á todos os animais e certamente amaria os ratos da Índia.

A deusa Durga com um tigre.
A deusa Durga com um tigre.
Durga celebrada como mãe dos ratos.
Durga celebrada como mãe dos ratos nas paredes do templo.
Share